Colar de Ametista 20F bolinhas

Colar de Ametista 20F bolinhas

SKU: 471
R$ 160,00Preço

Associada à Riqueza, Transformação, Mudança, Compaixão, Liberdade e Abundância Divina, ao 7º chacra, o Chacra da Coroa, acima da cabeça, e aos Mestres e Seres de Luz do Sétimo Raio Cósmico Violeta, como o Mestre e Amigo Saint Germain,  Kuan Yin, Mestra Pórtia, Arcanjo Ezequiel e Santa Ametista, o Príncipe Oromásis, Elohim Diana e Arcturus, Lady Mercedes, Mestra Vasconcellos, etc.

 

O nome Ametista vem do Grego Amethystós e significa “não ébrio”. Isso porque é um dos melhores cristais para ajudar a libertar de vícios, principalmente o alcoolismo (daí seu nome “não ébrio”), liberta a necessidade dos excessos e amplifica o discernimento e o bom senso. Também ajuda em processos emocionais, afasta a culpa, a ilusão e tendências para o escapismo. Excelente para amenizar as tempestades emocionais,  estabilizar e a estar mais consciente de toda a agitação.

 

Os gregos acreditavam que essa pedra os protegia de feitiçaria, nostalgia, maus pensamentos, embriaguez, e da penetração dessas forças sobre o espírito. Acreditavam também que essa pedra podia transformar maus pensamentos em otimismo¸ libertando-nos de falsos amigos.

 

A cor da ametista é atualmente atribuída à presença de Ferro3+, mas ela é capaz de ser alterada e até removida por aquecimento ou radiação ultravioleta.

 

Uma ametista em contacto com a pele ajuda a evitar estados de perturbação emocional. Além de desbloquear medos e aumentar a esperança, trás animação ao espírito e amplifica pensamentos superiores e da realidade espiritual na nossa vida.

É capaz de receber e transmitir as energias espirituais e vitalizadoras do raios violeta, sendo muito utilizadas para despertar os chakras superiores, harmonização de ambientes e para terapias energéticas em geral. Sua cor violeta garante a presença de grandes energias espirituais, protetoras e capazes de melhorar a nossa captação da energia Vital, chamada de acordo com as tradições de Chi, Ki, Prana, Orgone e outros nomes.

 

Fonte: Helena Cristais